Videiras do Dão crescem em Moçambique

   0 Publicado a 08/08/2017 às 12:26 por Madalena Galvão Teles · (0)

O desafio à Visabeira foi lançado em 2015 e depois da recolha de informações junto do Ministério da Agricultura de Moçambique o grupo empresarial viseense chegou à conclusão que era possível avançar com o projeto do cultivo da vinha.

No ano passado foi feita a primeira prospeção no terreno para a localização das melhores áreas no país que estivessem nos parâmetros climáticos e de qualidade de solo adequados para a cultura da vinha.

Após a prospecção do terreno foram localizados dois locais, um na região centro junto a Manica, próximo da fronteira com o Zimbabué, e outro local junto da região da província de Maputo. Zonas que desde maio deste ano acolhem plantações experimentais com oito castas (duas brancas e seis tintas) da região e estrangeiras, numa área de cerca de um hectare. Em cada área foram plantadas cerca de 800 videiras.

Segundo José Matias, responsável técnico do projeto, os resultados estão a ser “muito satisfatórios dentro do que estava previsto”. “Estamos a acompanhar o crescimento da vinha para depois do ciclo vegetativo chegarmos a conclusões se a uva produzida terá características para a produção de vinhos de excelência em Moçambique”, explica.

A primeira colheita está prevista para os meses de novembro e dezembro deste ano. José Matias espera que cada videira produza um ou dois cachos. “Estamos curiosos e esperançados que possamos ter ali pano para mangas”, admite. O facto das duas regiões onde se encontram as plantações experimentais estarem a cerca de 1500 quilómetros de distância uma da outra também pode, segundo o responsável, ditar algumas diferenças nas uvas produzidas e nos vinhos a produzir. O clima tropical de Moçambique também é “uma incógnita” para a evolução da videira mas José Matias garante que o solo é “extremamente propício e muito rico para a cultura da vinha. Isso é uma constatação”, garante.

Projeto bem acolhido em Moçambique

Desde o início que a ideia contou com a envolvência não só do Ministério da Agricultura como também dos governos regionais e das entidades locais.

José Matias refere que o projeto sempre foi “bem aceite” até porque vai criar mais empregos e é mais uma atividade agrícola”. Apesar de ser uma novidade, a cultura da vinha já existiu em Moçambique no tempo colonial. “É o reativar de uma actividade”, conta.

O objetivo é o de instalar mil hectares. Um objetivo que, segundo o responsável, “é mútuo tanto da parte da Visabeira como do Estado moçambicano”.

Fonte: https://www.jornaldocentro.pt/jornal/regiao/aguiar-da-beira/videiras-do-dao-crescem-em-mocambique/#

Comentários · (0)

Faça Login para participar na discussão.