Recentes ·

1469701080uvas
Jovem agricultor mais inovador da Europa é português

28/07 às 20:15

http://boasnoticias.pt/noticias_Jovem-agricultor-mais-inovador-da-Europa-%C3%A9-portugu%C3%AAs_24715.html

Logo pq 300x225
BORN FROM KNOWLEDGE: IDEAS WEB SUMMIT

28/07 às 16:11

A tua ideia terá viabilidade de negócio? Se és estudante de mestrado/doutoramento, ou investigador doutorado a realizar um pós-doutoramento, em Portugal, aproveita esta oportunidade única e candidata-te ao concurso nacional de ideias inovadoras do programa Born From Knowledge. O prazo para apresentação de ideias termina no dia 31 de julho. - Boa capacidade de comunicação. - Forte espírito de equipa, pontualidade e flexibilidade. - Compromisso em contribuir para o sucesso do Web Summit. As melhores ideias de negócio serão premiadas com a oferta de entradas para o Web Summit 2016, o maior evento de empreendedorismo, tecnologia e inovação da Europa, e com a participação num programa de imersão promovido pela Agência Nacional de Inovação (ANI). O Born from Knowledge é o conjunto das iniciativas promovidas a partir do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no âmbito do Web Summit. Candidata-te aqui: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScJPJECmduN04QQzEBlrWjkYsYxuAd8LZr-_DatwX-pRal2xg/viewform?c=0&w=1 Fonte: http://ani.pt/born-from-knowledge-ideas-web-summit/?utm_source=Newsletter+ANI&utm_campaign=b3654a01a8-Newsletter_37&utm_medium=email&utm_term=0_f7203260a8-b3654a01a8-53968837

Pinheiro resina 01 660x330
Politécnico de Leiria quer tirar mais partido do potencial da floresta portuguesa

27/07 às 12:31

O Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto do Politécnico de Leiria (CDRSP/IPLeiria) quer tirar mais partido do potencial da floresta, e contribuir para que a fileira seja mais sustentável, através da valorização dos produtos e sub-produtos de origem florestal, e da invenção de novos produtos e processos com base neste recurso natural. Já a desenvolver alguns trabalhos nesta área, o CDRSP/IPLeiria está a aprofundar contactos com vários players da indústria florestal para que se encontrem novas tecnologias e produtos a partir da floresta, um recurso natural que tem particular impacto na região centro, mas que está subaproveitado, e onde se podem introduzir processos mais sustentáveis. Alguns desses trabalhos passam pelas eco espumas à base de resina e pela utilização de resina do pinho português em engenharia de tecidos. A visão do Politécnico de Leiria para o sector passa por proteger a floresta, e reforçar a economia e a indústria baseada na floresta. Nesse sentido o CDRSP/IPLeiria tem vindo a trabalhar em vários projectos para valorização industrial dos produtos/subprodutos florestais sob a alçada do FAVAM – Forest Added Value Advanced Materials. O FAVAM inclui já vários projectos em desenvolvimento, nomeadamente de surveillance/monitorização da floresta, plantação através de drones, aproveitamento da madeira para desenvolvimento e design de produtos inovadores, desenvolvimento de produtos avançados e sustentáveis, invenção de sistemas inovadores para moldes inteligentes de materiais à base de madeira, e compósitos bio-activos provenientes da floresta. Resina de pinheiro para isolamento Concretamente, os investigadores do Politécnico de Leiria desenvolveram materiais avançados com base em matéria-prima da floresta, para aplicação em diversos novos fins. Exemplo desses novos fins é a utilização de resina de pinheiro para isolamento, através de eco espumas já patenteadas, e em aplicações médicas, nomeadamente na regeneração de tecidos e ossos. Um outro produto já estudado são vigas para construção em madeira lamelada colada de pinho bravo. Nuno Alves, director do CDRSP do IPLeiria, explica que “«o CDRSP/IPLeiria tem vindo a desenvolver projectos para capitalizar diversos produtos florestais, pensando “verde” os processos de fabrico e de construção, e desenvolvendo tecnologia, com o objectivo de passar o conhecimento para as empresas, e atribuir mais interesse económico a toda a fileira, e aos subprodutos que agora não têm valor”. O CDRSP/IPLeiria juntou há dias no simpósio Direct Digital Manufacturing from Forest (impressão digital directa/impressão 3D com base na floresta) diversos players do sector para fortalecer o espírito de diálogo, e mostrar as potencialidades da impressão tridimensional aplicada a esta fileira, no sentido de contribuir para criar conhecimento, e passá-lo à indústria. O encontro contou com a participação da AIFF – Associação para a Competitividade da Indústria da Fileira Florestal, da Associação Centro PINUS, da Resipinus – Associação de Destiladores e Exploradores de Resina, das empresas Repsol Resinas e Amorim Isolamentos, do Centro de Inovação e Competências da Floresta, e da Universidade de Coimbra. Eco espumas à base de resina substituem espumas à base de petróleo As Eco Espumas de isolamento a ser desenvolvidas no CDRSP/IPLeiria pretendem ser uma alternativa mais sustentável às espumas à base de petróleo e formaldeído, que emitem gases prejudiciais à saúde, e que afectam tanto os aplicadores como os ocupantes das habitações. O processo de desenvolvimento da espuma de isolamento à base de resina de pinho desenvolvido pelo CDRSP/IPLeiria usa recursos biodegradáveis, pelo que a obtenção da Eco Espuma é ainda mais eficiente, consumindo menor energia que a espuma de isolamento tradicional, além do produto ser ainda mais estável termicamente e resistente à água. As Eco Espumas (Eco Foams) desenvolvidas no Politécnico de Leiria já estão patenteadas. Madeira lamelada colada do pinho bravo dão origem às vigas do futuro O IPLeiria desenvolveu estudos sobre as potencialidades da madeira lamelada colada de pinho bravo, considerando que as características físicas e mecânicas deste material o tornam adequado para utilizações estruturais, havendo viabilidade de fabricar vigas neste material, como forma de acrescentar valor ao pinho bravo. Estão previstos novos estudos tendo em vista incrementar o uso de matérias-primas das florestas nacionais. Resina do pinho português usada em engenharia de tecidos O CDRSP está a desenvolver soluções com base em matérias-primas da floresta, que podem ser usadas na regeneração de tecidos humanos. A engenharia de tecidos implica a fabricação de um scaffold (implante temporário bio-compatível com o corpo humano) através de impressão digital directa/impressão 3D (camada a camada), que serve de estrutura ao material biológico que aí será embebido, e fará a regeneração celular. O CDRSP desenvolveu scaffolds à base de resina, e está a colaborar com a Universidade de Otago (Nova Zelândia) num projecto para desenhar e produzir scaffolds à base deste produto natural para estudos de citotoxicidade. Fonte: http://agriculturaemar.com/politecnico-de-leiria-quer-tirar-mais-partido-do-potencial-da-floresta-portuguesa/

Ver mais

Destaque ·

Akis %281%29
Ministério nomeia representante nacional para Grupo Estratégico Europeu SCAR - AKIS

29/06 às 19:30

LUÍS MIRA DA SILVA, Professor do Instituto Superior de Agronomia / Universidade de Lisboa e Presidente da INOVISA, foi recentemente nomeado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior como Representante Nacional no subgrupo estratégico Agricultural Knowledge and Innovation Systems (AKIS) do Standing Committee on Agricultural Research (SCAR) da Comissão Europeia. Com 37 países envolvidos, o SCAR é composto por representantes de Ministérios, ou de outras estruturas como Conselhos de Investigação, de todos os Estados-Membros da União Europeia, assim como de países candidatos e associados. Este Comité tem como objetivo orientar os programas europeus de apoio à investigação e à inovação no sector agrícola europeu, assumindo também um papel orientador a nível nacional. A estrutura operacional do SCAR baseia-se em grupos temáticos, sendo o SCAR-AKIS um subgrupo estratégico, de atuação permanente, com enfoque em recomendações para políticas de apoio ao conhecimento e à inovação dos sistemas agrícolas. Mais informação em: http://ec.europa.eu/research/scar/index.cfm #SCARAKIS

2016 04 05 guia empreendedor agr%c3%adcola
Guia Prático do Empreendedor Agrícola - Disponível para consulta

05/04 às 16:15

Já está disponível para consulta! Desenvolvido pela MBIA, o Guia Prático do Empreendedor Agrícola é o produto de um trabalho conjunto com a Inovisa e pode ser visto em www.mbia.pt/guia-pratico-do-empreendedor-agricola/

Luis mira da silva 300x300
SER EMPREENDEDOR NA FRUTICULTURA: Desafios e oportunidades em Portugal

15/03 às 18:52

Com uma elevada probabilidade de acertar, posso afirmar que nos próximos anos vão ser criadas muitas oportunidades no setor da fruticultura em Portugal. De facto, as oportunidades tendem a aparecer quando o contexto que nos rodeia muda, criando problemas, que por sua vez vão dar origem a oportunidades. Aliás, é costume dizer-se que quanto maior forem os problemas, maior serão as oportunidades! Como não vão faltar problemas nos próximos anos, também não vão faltar oportunidades. Mas em concreto o que vai mudar, afetando o setor da fruta? Em primeiro lugar, a demografia. Além do aumento da população mundial, acompanhado por uma urbanização crescente e pelo aumento do nível médio de vida, há alterações que vão afetar de forma particular o setor da fruta, como o envelhecimento da população na Europa. Note-se que a maior parte destas alterações demográficas (umas mais regionais que outras) podem ser estimadas com alguma fiabilidade, por isso vale a pena analisar como podem ser geradas oportunidades a partir daqui. Leia todo o artigo em: http://centrofrutologiacompal.pt/2016/03/14/ser-empreendedor-na-fruticultura-desafios-e-oportunidades-em-portugal/

Ver mais

Eventos ·

Top 10 Utilizadores · Ranking